A visão de Jesus e dos Apóstolos acerca da Bíblia

A visão de Jesus e dos Apóstolos acerca da Bíblia

A visão de Jesus e dos Apóstolos acerca da Bíblia 150 150 escolaadmin

Segue o Resumão da Lição – A visão de Jesus e dos Apóstolos acerca da Bíblia.            

Vejam os itens mais importantes:

1. Abraçamos a posição que no Novo Testamento, percebemos a maneira inspirada de ver as Escrituras ao estudarmos a maneira pela qual Jesus e os apóstolos compreendiam, o Antigo Testamento, a única Bíblia que eles tinham na época.

2. É importante considerar os dois itens: 1- como eles se relacionaram com as pessoas, lugares e eventos descritos? 2- quais eram seus métodos?

3. O batismo de Jesus, realizado por João Batista, marcou o início o ministério do Salvador. Após esse evento, Cristo foi levado pelo Espírito de Deus para orar, jejuar e Se preparar para Sua missão.

4. Conhecemos a história… nesse deserto, o inimigo de Deus veio tentar Jesus. Por três vezes Ele foi tentado, mas venceu… citou as Escrituras. A Palavra de Deus é a nossa armadura contra a tentação.

5. A primeira tentação de Jesus foi relacionada ao apetite. Nesse contexto, Jesus disse: “Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus”. Mt 4:4 Jesus apontou para a Palavra Viva; quando tentado com os reinos e glórias do mundo, Jesus respondeu: “Está escrito: Ao Senhor, teu Deus adorarás, e só a Ele darás culto”. Mt 4:10 A verdadeira adoração se concentra em Deus; Em relação à tentação do amor e à exibição e à presunção, Jesus respondeu: “Está escrito: Não tentarás o Senhor, teu Deus”. Mt 4:7

6. Nas três tentações, Jesus respondeu as palavras “está escrito”. Foi diretamente à Palavra. A Bíblia e a Bíblia somente, é o padrão supremo de nossa crença. Jesus usou o método de defesa de Jesus contra os ataques do inimigo.

7. Jesus enfrentou o inimigo, não com opinião, argumento bem elaborado, nem com palavras de animosidade pessoal, mas com A palavra das Escrituras.

8. Para Jesus, a Palavra tinha a maior autoridade e o maior poder. Seu ministério começou bem, e continuou a desenvolver com base na confiabilidade da Bíblia.

9. Jesus ensinou aos Seus discípulos a obediência à Palavra de Deus e à Lei. Ele sempre Se referiu à Bíblia como a fonte da autoridade divina.

10. Podemos errar se não conhecermos as Escrituras nem o poder de Deus, disse Jesus. Mt22:29

11. Mero conhecimento intelectual da Bíblia e seus ensinamentos, são insuficiente para conhecer a verdade e conhecer o Senhor, Aquele que é a verdade;

12. A visão de Jesus acerca da Lei de Moisés = os quatro primeiros se concentram no relacionamento divino-humano, e os seis últimos focalizam os relacionamentos humanos. Jesus disse que desses “dois mandamentos dependem toda a Lei e os Profetas”. Mt 22:40: Amar a Deus e amar ao próximo.

13. Jesus usou as Escrituras para ensinar aos discípulos a ensinar aos discípulos a mensagem do Evangelho, isto é, deviam mostrar que as profecias haviam se cumprido na vida Dele, Seu nascimento, Sua vida e Sua morte.  Ele disse: “Importa que se cumprisse tudo o que de Mim está escrito na Lei de Moisés, nos Profetas e nos Salmos”. Lc 24:44

14. Jesus dava evidências que acreditava nas Escrituras e confiava na sua confiabilidade. Os discípulos deveriam ensinar como Ele ensinou: deveriam expor todas as Escrituras e trazer compreensão e poder aos novos conversos em todo mundo. Ele nos deu o exemplo citando várias vezes as Escrituras com máxima exatidão.

15. Quando Jesus ordenou para fazermos discípulos de todas as nações, batizando-as em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, ensinando-as a guardar todas as coisas… sim todas as coisas que estão escritas nas Escrituras.

16. Jesus ensinou que a Bíblia é a Palavra de Deus no sentido de que o que ela declara é sinônimo do que Deus diz. A origem se encontra em Deus, e contém a autoridade suprema para todos os aspectos da vida.

17. Deus trabalhou ao longo da história para revelar Sua vontade à humanidade por meio da Bíblia.

18. Jesus compreendia as pessoas e os eventos históricos da Bíblia como verdades históricas. Ele tratava constantemente pessoas, lugares e eventos do Antigo Testamento como verdade histórica. Exemplo: Ele se referiu a Gênesis 1 e 2, Abel em Gênesis 4, Davi comendo os pães da proposição e a Eliseu, entre outras figuras históricas. Falou também de Noé… nos dias de Noé…

19. Os escritores do Novo Testamento abordaram a Bíblia da mesma forma que Jesus fazia. Para eles, em matéria de doutrina, ética e cumprimento profético, o Antigo Testamento era, para eles, a Palavra autoritativa de Deus.

20. Os escritores da Bíblia confirmaram a autoridade e a autenticidade de qualquer parte da Bíblia.

21. As Escrituras estão intimamente relacionadas à voz do próprio Deus.

22. Os apóstolos tinham a Palavra de Deus como autoridade suprema. Eles citam as Escrituras como sendo a Palavra de Deus revelada a pessoas.

23. Os escritores do Novo Testamento confiavam uniformemente no Antigo Testamento como a Palavra de Deus.

24. Uma advertência de E.G.White: “Os homens se consideram mais sábios do que a Palavra de Deus; e em vez de firmar seus pés no fundamento inabalável, e pôr tudo à prova da Palavra do Senhor, eles provam essa Palavra por suas próprias ideias de ciência e natureza, e se essa Palavra não concorda com suas ideias científicas, ela então é descartada como indigna de crédito”.

 

Senhor, nós acreditamos que todas as Escrituras foram inspiradas por Deus. Acreditamos também que os seus escritores, em destaque os apóstolos ouviram a voz do próprio Deus quando escreveram seus livros. Nó amamos a Tua Palavra. Amém!

 

Feliz Sábado! Sejam felizes! 

Estudar a Bíblia faz bem! Um abraço! 

Texto elaborado por Dalva Amélia de Castro Menezes, professora adventista aposentada e membro da Igreja IASD do UNASP – SP.